NOTÍCIAS
24/11/2016 Produtores prestigiam Encontro Ovos RS no AVISUALT 2016 e debatem segurança alimentar

Em sétimo lugar no ranking de produtores de ovo no mundo, o Brasil tem buscado crescer no setor. O Rio Grande do Sul, com ações pontuais e diversas parcerias, é um dos estados que tenta aumentar a sua produção. O Encontro Ovos RS, que aconteceu durante a manhã dessa quinta-feira (24) no AVISULAT 2016, foi um momento para debater temas importantes junto aos produtores. Temas como a segurança alimentar e a nutrição de poedeiras centralizaram as palestras.

Uma das iniciativas que vem buscando auxiliar os produtores do Estado é o Projeto Ovos RS, apresentado no encontro pelo seu coordenador, José Eduardo dos Santos. “O nosso maior desafio é conscientizar o produtor que está em fase de transição para se adequar a exigências tanto das leis quanto do mercado”, frisou. O diretor do Instituto Ovos Brasil, Ricardo Santin, ressaltou que “é necessário investir em biosseguridade para adotar medidas simples de melhorias nas granjas”.

O relacionamento entre os produtores e a legislação foi um ponto importante do dia e tema da palestra do Dr. Rossano Biazus, promotor da Promotoria de Justiça de Justiça de Defesa do Consumidor de Porto Alegre. Biazus salientou que o objetivo do órgão é focado não para punir, mas para garantir uma boa relação entre fornecedor e consumidor, visto que 20% do trabalho da promotoria é de atendimento a casos relacionados com segurança alimentar. “O nosso intuito é sempre trabalhar mais para pensar em como podemos nos inserir no contexto do produtor”, explicou ele.

A preocupação mundial com a produção agrícola surgiu somente após as guerras mundiais, conforme apresentou o chefe do Serviço de Inspeção de Produtos de Origem Animal da SFA/RS, Leonardo Isolan. Por outro lado, a preocupação com a segurança alimentar veio ainda muitos anos depois. No Brasil, a legislação sobre o tema é de 2006, com a Lei nº 11.346, que versa, entre outros pontos, sobre a “garantia da qualidade biológica, sanitária, nutricional e tecnológica dos alimentos”. Como a tendência de consumo mundial de alimentos é de crescimento para os próximos anos, Isolan apontou esse como um dos desafios para os encarregados em manter a segurança alimentar.

Entre os maiores problemas que impedem justamente uma segurança alimentar sem riscos, está a clandestinidade, abordada pelo palestrante Vilar Gewwhr, fiscal estadual agropecuário da SEAPI/RS. “A nossa ideia não é prender o produtor, mas tentar explicar como é o certo e voltar em outro momento para garantir que ele se regulamentou”, explicou o fiscal, complementando que a secretaria estadual possui ainda poucas granjas registradas. “Estamos tentando mudar essa realidade aos poucos”, disse.

O programa de qualidade é um dos fatores para auxiliar na distribuição de ovos saudáveis ao mercado. O coordenador técnico de processos da Naturovos, Fábio Koch, colaborou com o encontro apresentando um pouco do trabalho da empresa. “É fundamental a detecção de defeitos e imperfeições na casca”, destacou ele, comentando também a grande dificuldade de atender os padrões da legislação brasileira quanto aos ovos integrais.

Para que a qualidade dos ovos possa manter um nível aceitável, a preocupação com a nutrição poedeiras também merece atenção, como explanou o professor da faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Fernando Rutz. Segundo ele, a uniformidade do crescimento da galinha é essencial para que a casca de ovo não seja afetada no fim da produção. Rutz explicou ainda que a casca do ovo é formada pelos mesmos nutrientes do osso, por isso o avanço na nutrição mineral de poedeiras é importante para a indústria, assim como o outro tema abordado pelo gerente técnico da MSD Saúde Animal, Lucas Colvero. Para a MSD, entender como acontece o problema em uma granja é o primeiro passo para poder evitá-lo dali para frente. “Não é só o medicamento animal que basta, temos que ir além, às vezes o problema vem simplesmente de outros fatores”, explicou.

Ao fim da manhã a última palestra tratou sobre a importância do ovo na alimentação saudável, principalmente para garantir uma terceira idade melhor. O palestrante foi o renomado médico japonês e coordenador do Centro de Geriatria e Gerontologia do Hospital Moinhos de Vento, Emílio Moriguchi. Como o Japão é o país em que mais se consome ovo por pessoa a cada ano, Moriguchi destacou a própria experiência. “Eu como pelo menos um ovo por dia”, contou ele. O médico apresentou estudos que desmistificam a tese de que o ovo pode estar associado a doenças cardiovasculares. “Isso não procede, o ovo é um alimento, não há motivo para restringir”, defendeu Moriguchi.

Fonte: Reverso Comunicação Integrada 

 
 

Media Partners

Ave World Beef World Pork World Sindiavipar Avisite O Presente Rural Feed&Food


 
Apresentação do evento em português  English  Español
 
COMERCIAL
Clique aqui para ver nossa proposta comercial em português
Acesse o Plano Comercial


HORÁRIOS
Horários de Funcionamento da Feira
FEIRA
Abertura: 11h
Fechamento: 20h
Visitação gratuita


MAPA DO EVENTO
Clique aqui e acesse a planta do evento e quadro de áreas
Acesse o Mapa do Evento


MANUAL DO EXPOSITOR
Clique aqui para ver ver o Manual do Expositor em português
Acesse o Manual do Expositor